1 de agosto de 2010

Ser ou não ser: eis a questão...







As palavras são como os patifes desde o momento em que as promessas os desonraram. Elas tornaram-se de tal maneira impostoras que me repugna servir-me delas para provar que tenho razão

O rosto enganador deve ocultar o que o falso coração sabe.

A necessidade faz-nos habituar a estranhos companheiros de leito.

As juras mais fortes consomem-se no fogo da paixão como a mais simples palha.

O resto é silêncio.

Willian Shakespeare...

 Me sinto assim.. como frases soltas....

Nenhum comentário:

Postar um comentário