17 de fevereiro de 2015

Metas para esse ano que se inicia.... Em fevereiro

Eu realmente não tenho muito jeito com esse negócio de manter um blog...
Aconteceram tantas coisas que eu nem sei por onde começar..
Acho que e melhor deixar o que passou pra trás e focar no que está por vir.

Seja bem vindo 2015 (Sei que é estranho dizer isso em pleno 16 de fevereiro, mas como dizem que o ano só começa depois do carnaval ainda to em tempo ^^)!!!!!!!!!!!!!

2015 começou com um ano novo no meio da rua, atrasadas para pegar os fogos e com um amigo perdido (Que foi encontrado no período da manhã, ufa!), uma viagm de quase 20 dias para Roma e com o meu último primeiro dia de graduação (Depois de longos, sofridos e adorados 4 anos, cheguei no 5º e último com muita glória amém hahahaha).

O fato é que agora se faz de muita importância saber o que fazer da vida e definir metas. É um pouco assustador você ver que está deixando de ser estudante e indo pra fase de profissional. Ver seus professores se referirem a você como colega de profissão e não mais como aluno, ver que está na hora de pensar em ser efetivada no estágio ou já procurar algum emprego na modalidade Trainee, afinal, é bom estar empregada antes da formatura.

Mas vamos às metas de 2015:


  • Ler 5 livros no ano
    • Sétimo - André Vianco
    • O Chamado do Cuco - Robert Galbraith
    • Anjo da Morte - Eduardo Spohr
    • Misery - Stephen King
    • Um hotel na esquina do tempo - Jamie Ford
  • Escrever meu TCC até final de Março
  • Terminar em abril o projeto para a Jornada Mundial da Juventude proposto em Roma
  • Tentar um novo estágio ou prestar processo interno para conseguir efetivação na empresa
  • Praticar um esporta e fazer caminhada ao menos 2x na semana.
  • Juntar todo dinheiro que eu conseguir (para poder ir para Polônia ano que vem)
Acho que essas são as metas primordiais do ano.
Não me arrisquei a colocar mais de um livro por mês porque tenho tanto artigo do TCC pra ler que não sei nem se conseguirei cumprir essa meta, esses livros são todos livros novos adquiridos ano passado (Exceto Sétimo que ganhei de aniversário), recentemente comprei 50 tons de cinza, porque acho que todo tipo de literatura é válida e eu assisti ao filme e considerei que valeria a pena ler essa trilogia.

Bem, por enquanto é só isso.

Até logo mais.. :)


28 de agosto de 2014

Saudades, atitudes, amor e coisa e tal...

Saudade, sentimento alimentado pela vontade de ter por perto, pela ânsia de poder te encontrar e te dar aquele abraço apertado, aquele abraço que cura feridas, ameniza sofrimentos, compartilha alegrias e suaviza a alma.
Toca meu nariz no seu, deixa eu sentir seu cheiro, respirar a sua pele.
Saudade de quando o desejo de nos ver era tanto que a gente tratava de dar um jeito de nos encontrar nem que fosse para ficar exatamente cinco minutos juntos.

A gente se ilude que para surpreender alguém é sempre preciso complexidade, planos mirabolantes e muito planejamento, lógico que se você quer fazer algo arrebatador, é preciso se empenhar um pouquinho, mas muitas vezes, tudo o que a gente precisa em um dia nublado é uma presença iluminada e inesperada, uma ligação e por que não uma rosa comprada às pressas na floricultura da esquina?!

Costumo dizer que não precisa de muito para me agradar, para mim, o eu te amo se faz com pequenos gestos e nenhuma palavra. Minha mãe é exemplo disso, ela raramente diz que me ama, mas mostra isso todo dia quando me liga perguntando se eu vou querer café fresquinho quando chegar da faculdade, ou quando acorda mais cedo e faz um pão de queijo quentinho pro café da manhã...Ela é pra mim o amor em forma de atitude. Aprendi a amar assim, fazendo mais que falando (não que eu não fale, ás vezes falo até demais), mas acredito que com o amor é igual com a fé,pois lembro da passagem quando Jesus falou: "Nem todo aquele que diz 'Senhor, Senhor' entrará no reino dos céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus". Com o amor é a mesma coisa; nem todo "Eu te amo, eu to com saudade", vai me cativar, mas se você me liga me chamando pra dar uma volta, me abraça em dias escuros, compartilha comigo minhas alegrias, se importa comigo, você terá meu carinho eternamente, pois quando eu amo, eu amo para sempre.

Para iluminar o dia de qualquer pessoa, basta ser um pouco criativo, escreva uma carta, ou deixe um bilhete, faça um coração de papel, roube uma flor de um jardim, passei no parque...Não deixe a saudade virar rotina, não espere por ela, mas vá atrás quando achar necessário, há vezes que precisamos fazer algo diferente, não precisa ser arrebatador, apenas simples o suficiente para resgatar aquele sorriso que as preocupações da semana esconderam.


27 de julho de 2014

Sobre relacionamentos...

O que me inspirou a escrever hoje veio deste trecho do livro Um sorriso ou dois - Frederico Elboni:
"As pessoas têm muitas dúvidas: será que é uma boa namorar? Será melhor curtir por enquanto? Com isso, elas esquecem a coisa mais importante da vida: aproveitar o momento. Você não vai morrer com 30 anos, então eternize cada segundo, sinta o que tem que ser sentido e deixe rolar. O resto a vida faz.
(...) Pessoas vêm e vão e quem fica é você, com suas lembranças e a consciência de quem fez o que deveria ter feito. Então relaxe, você está no caminho certo. Basta lembrar que encontramos a felicidade plena quando nos apaixonamos, não por alguém, mas pela vida."

Desde os meus 16 anos eu namoro, entre um namoro e outro sempre veio um prazo curto de solteira, até então nunca reclamei, pois para mim, ter alguém do meu lado sempre foi melhor do que estar solteira. Machuquei corações, e me machuquei também, mas até aí, faz parte da vida...
Vai fazer um mês que estou solteira novamente e o motivo real dessa solteirice cabe estritamente a mim e ao meu ex-namorado, não me sinto na obrigação de falar nada a ninguém, mesmo porque conhecendo as pessoas como eu conheço, sei que elas jamais entenderiam nossos motivos, mas eu e ele entendemos e isso nos basta.

Esse mês, fiquei pensando em meus 3 namoros de verdade e vi como o modo no qual eles terminam, me influenciaram no modo que vejo minhas relações passadas atualmente.

Meu primeiro namorado foi uma paixão avassaladora, um amor bem cego, mas depois de descobrir todas as traições, todas as mentiras que até hoje ele nega ter feito (mesmo com provas e testemunhas dos fatos), se eu parar para pensar em como foram aqueles 18 meses ao lado dele, eu não consigo lembrar momentos realmente felizes, não consigo sorrir por eles e ainda não entendo como ainda tivemos casos alguns anos depois, mas Deus sabe o que faz e meus olhos foram abertos antes de que eu mergulhasse em uma pseudo-felicidade novamente.
O segundo namorado veio para eu tentar esquecer o primeiro, mas nunca combinamos de fato sentimentalmente falando e até hoje, mesmo mantendo uma amizade, aprendi com ele que jamais podemos tentar substituir pessoas. Foi um relacionamento complicado, cheio de dificuldades e no final, mais nos machucamos do que nos amamos de fato. Guardo momentos bons, guardo a amizade e deste relacionamento só posso dizer que foram 12 meses de muita lição.
E o terceiro, que foi na verdade o quarto, foi uma coisa meio louca. Nesse caso eu estava totalmente livre para poder de fato amar alguém e quem diriam hein! Que logo você, conhecido de tanto anos iria me namorar.
Ao seu lado eu vivi os melhores 2 anos da minha vida, com você posso dizer que fui feliz, que amei, fui totalmente sua. Sua amiga, namorada, amante, confidente, menina e mulher.
Foi o namoro mais sincero de todos porque vc sabia de tudo, seja das minhas conversas com outras pessoas até mesmo meu medos mais profundos. Ao seu lado aprendi a ser mais eu, a fazer o que quero sem ter medo de julgamentos alheios (ok, ainda to lidando com os julgamentos alheios rsrs), aprendi que a vida tem que ser vivida e não devo ser espectadora dela.
Aí você me pergunta: " Ué??? Se foi tão lindo assim por que acabou???" E eu apenas respondo, porque na vida nem tudo é como a gente quer. Entre os motivos o fato de eu ser muito focada na minha faculdade contribuiu pro termino, mas nossos motivos mais fortes, como eu disse antes, só pertence a nós, e não tem nada de escandaloso, nós apenas preferimos guardar isso pra gente.

Relacionamento é uma coisa complicada, mas cabe a nós guardarmos o que nos edifica quando ele acaba. E em um próximo relacionamento não jogar as mágoas deste último no novo que esta vivendo.

E hoje posso dizer que tenho minha consciência tranquila, porque pra mim, não fiz nada de errado, só fui eu e mesma, e a gente precisa aprender a lidar melhor com nos mesmos ;)

7 de julho de 2014

"Não se pode desperdiçar a vida dando voltas"

"Todavia, caros jovens, o coração do ser humano aspira coisas grandes, valores importantes, amizades profundas, laços que se reforçam nas provações da vida, ao invés de romper-se. O ser humano aspira amar e ser amado: essa é a nossa aspiração mais profunda.
A cultura do provisório não exalta a nossa liberdade, mas nos priva do nosso verdadeiro destino, das metas mais verdadeiras e autênticas. É uma vida em pedaços. É triste chegar a uma certa idade, olhar o caminho que fizemos e descobrir que foi feita em diferentes pedaços, sem unidade, sem definição: tudo provisório.
Não deixem que lhes seja roubado o desejo de construir na vida de vocês coisas grandes e sólidas! É isso que nos leva adiante. Não se contentem com pequenas metas! Aspirem à felicidade, tenham coragem, a coragem de sair de vocês mesmos, de arriscar plenamente o futuro de vocês junto a Jesus. Ele nos ama definitivamente, escolheu-nos definitivamente, doou-se definitivamente a cada um de nós. É nosso defensor e irmão mais velho e será nosso único juiz."
Papa Francisco
Sem mais!